Assembleia se posiciona contra a criação da Procuradoria Uerj, enquanto não houver apuração de atos ilegais da Dijur

As barreiras criadas pela Diretoria Jurídica da Uerj à carreira docente voltaram a ser o centro do debate na assembleia realizada na segunda-feira, 18/6, no Auditório 71 do Campus Maracanã.

A diretoria da Asduerj apresentou informes sobre a tramitação no Conselho Universitário de uma minuta de resolução que propõe a recomposição da Dijur como Procuradoria da Uerj. Para a Asduerj, esse debate precisa ser adiado até que se recobre algum tipo de relação institucional com o órgão jurídico da Universidade.

A Assembleia deliberou que a Asduerj irá cobrar da reitoria sua posição quanto aos pareceres ilegais da Dijur, além de informações quanto ao pagamento dos professores substitutos e respostas ao Ministério Público com relação aos concursos definidos pelo Termo de Ajuste de Conduta (TAC), firmado entre a Uerj e o MP.

Durante os informes, também foram apresentadas as propostas que a delegação da Asduerj levará ao 63º Conselho Nacional de Associações Docentes (Conad). Entre elas, o fomento a Grupos de Trabalho locais de Política Sindical e a de atuação do Sindicato Nacional na luta por justiça para Marielle Franco e contra a intervenção militar. O evento acontece entre os dias 28 de junho e 1º de julho, em Fortaleza. 

Veja o conjunto das deliberações da assembleia desta segunda-feira, 18/6

 - Participação na Marcha da Ciência no dia 8/7, às 10h, no MAM

- Posicionamento contrário à constituição, neste momento, da Procuradoria da Uerj, seguido da consequente apuração das irregularidades cometidas pela Diretoria Jurídica da Uerj (Dijur) contra a universidade e a comunidade acadêmica.

- Aprovação da Moção à Reitoria sobre a suspensão de direitos promovidos pela Dijur/Uerj sem prejuízo de modificações posteriores no texto.

- Manutenção do indicativo de ato na Reitoria com os três segmentos no dia 26 de junho.

- Cobrar da Reitoria informações sobre o pagamento dos professores substitutos e a resposta ao MP sobre os concursos referentes ao Termo de Ajuste de Conduta (TAC).

- Cobrar da Reitoria, por meio de Nota, uma postura acerca da segurança no entorno dos campi, requerendo uma comunicação às instâncias de segurança pública do Estado.

- Colocar cartazes nos campi comunicando a realização das assembleias docentes.