Nota contra qualquer forma de divisionismo e conclamando a unidade da luta

Nós, professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, reunidos em Assembleia Geral Docente no dia 17 de outubro, vimos repudiar veementemente qualquer forma de exposição de indivíduos ou coletivos já criminalizados pelo aparato repressivo estatal, e cuja militância é reconhecida por nós como fundamental em nossa luta em defesa da educação pública, como acontecido em nossa penúltima assembleia.

No momento em que precisamos de mais união entre as diferentes formas de luta e organização política, qualquer ação intimidatória, divisionista ou criminalizadora é totalmente contraproducente para a luta. Dentro da uerj vários grupos militam baseados nas mais diversas linhas políticas. A essência da nossa universidade é a pluralidade, o respeito e a diversidade, o que tem sido imprescindível em nossa unidade de luta.

Divergência de opiniões faz parte do amadurecimento e do engrandecimento político. Mas acreditamos que entre nós ninguém se beneficiará da  criminalização de militantes, apenas os opressores que demonstram cotidianamente a força de seus aparatos repressivos. Esperamos seguir adiante e lançaremos mão de todas as estruturas organizacionais e sindicais para defender os e as que lutam por uma universidade pública, gratuita, laica e socialmente referenciada.

Conclamamos todos e todas para unirmos forças num processo de construção coletiva de militância forjada nas bandeiras da diversidade política e da democracia.