Por unanimidade, assembleia mantém greve e propõe denúncia ao MP

Ainda sem previsão para o pagamento de salários do mês de agosto, professores da Uerj decidiram por unanimidade manter a greve na categoria, em assembleia realizada nesta segunda-feira, 30/10.

Os professores aprovaram a participação em uma agenda de atividades, que inclui o ato unificado com o conjunto dos servidores estaduais no dia 8 de novembro e o dia nacional de paralisações e greves, no dia 10 de novembro.

Outro importante ponto desta agenda é a audiência pública da Câmara Municipal para discutir as universidades estaduais, na próxima segunda-feira, 6/11, na Capela Ecumênica da Uerj.

A próxima assembleia docente foi marcada para o dia 14 de novembro, às 14h.

Veja o Conjunto das Deliberações:

- Nota de Repúdio à venda e privatização da Cedae e a vinculação desta operação, por parte do governo, à solução da crise do Estado e, especialmente, da Uerj.

- Nota de Repúdio ao Ato Executivo de Decisão Administrativa da Reitoria 009/2017, que suspende a contagem de tempo para o Estágio Probatório durante a greve.

- Nota de Repúdio à Resolução 28, que trata do Trabalho Voluntário na Universidade.

- Produzir materiais e realizar atividades que busquem informar e promover diálogos com a comunidade universitária a respeito de temas como evasão, autonomia universitária, isonomia salarial, orçamento e ações judiciais.

- A partir da Asduerj, criar um modelo de denúncia sobre a situação da universidade e dos seus trabalhadores para ser encaminhada de forma maciça pela comunidade universitária ao Ministério Público.

- Intensificar campanhas e atos que exponham os agentes do governo responsáveis pela situação da Uerj, como o secretário de Ciência e Tecnologia, Gustavo Tutuca; o Procurador Geral do Estado, Leonardo Espíndola; o secretário de Fazenda e Planejamento, Gustavo Barbosa e o governador Pezão.

- Propor à Reitoria a realização de uma sessão conjunta do Conselho Universitário e do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão para apresentar, de forma detalhada, o orçamento da Uerj. Sugerir também o convite ao diretor da Asduerj Rodrigo Reis, para apresentar alguns dados ao debate.

- Cobrar da Reitoria a suspensão do calendário acadêmico, com a indicação pela Reitoria daquilo que considera excepcionalidades.

- Realizar Ato em defesa da autonomia universitária e da liberdade de pensamento e expressão.